Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 23 - quinta-feira, 30 de março de 2023

Morre no Rio a repórter Glória Maria, da TV Globo. Desde 2019, ela se tratava de câncer, inicialmente no pulmão e, depois, no cérebro

Quinta 02/02/23 - 8h58

A jornalista Glória Maria morreu no Rio, nesta quinta-feira (2).

Foi a primeira repórter a entrar ao vivo no Jornal Nacional e mostrou mais de 100 países em reportagens:

“Eu sou uma pessoa movida pela curiosidade e pelo susto. Se eu parar pra pensar racionalmente, não faço nada. Tenho que perder a racionalidade pra ir, deixar a curiosidade e o medo me levarem, que aí eu faço qualquer coisa.”

Glória nasceu no Rio de Janeiro:

“Aprendi inglês, francês, latim e vencia todos os concursos de redação da escola”, disse.

Em 1970, foi levada por uma amiga para ser radioescuta da Globo do Rio.


DOENÇA

Em 2019, Glória foi diagnosticada com câncer de pulmão. O tratamento com imunoterapia teve sucesso.

Depois, sofreu metástase no cérebro, que inicialmente foi tratado por meio de cirurgia, mas novos tratamentos não avançaram.

“Em meados do ano passado, Glória Maria começou uma nova fase do tratamento para combater novas metástases cerebrais que, infelizmente, deixou de fazer efeito nos últimos dias, e Glória morreu esta manhã, no Hospital Copa Star, na Zona Sul do Rio”, afirma comunicado da Globo.


***

Morre no Rio de Janeiro a jornalista Glória Maria

Repórter negra fez história na TV Globo e combatia câncer desde 2019

Morreu na manhã de hoje (2) a jornalista Glória Maria. A informação foi confirmada pela TV Globo, emissora em que ela trabalhava desde 1971. Segundo a nota da Globo, Glória foi diagnosticada com um câncer de pulmão em 2019 e teve sucesso no tratamento por um período.

Porém, no ano passado o tumor passou por metástase para o cérebro e, após uma cirurgia, os tratamentos não fizeram mais efeito. Ela estava internada no Hospital Copa Star, na Zona Sul do Rio

De acordo com a emissora, Glória foi a primeira repórter a entrar ao vivo e a cores no Jornal Nacional. Referência no jornalismo brasileiro, viajou o mundo fazendo reportagens para programas como o Fantástico e o Globo Repórter.

Com seu estilo descontraído e envolvente, mostrou ao Brasil culturas e lugares exóticos da África, Ásia e Oriente Médio, além de se aventurar no maior bungee-jump do mundo, em Macau, e descer de bote o Rio Colorado no Grand Canyon, nos Estados Unidos.

Também entrevistou celebridades como Michael Jackson, Madonna, Harrison Ford, Nicole Kidman e Leonardo Di Caprio, além de cobrir a Guerra das Malvinas (1982), os Jogos Olímpicos de Atlanta (1996) e a Copa do Mundo da França (1998).

Glória Maria deixa duas filhas, Maria (15) e Laura (14), que adotou em 2009.

Notas de pesar
Mulher negra pioneira no telejornalismo brasileiro, a morte de Glória Maria foi lamentada por autoridades. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou sua trajetória profissional.

“Recebo com muita tristeza a notícia da morte de Glória Maria, uma das maiores jornalistas da história da nossa televisão. Glória foi repórter em momentos marcantes do Brasil e do mundo, entrevistou grandes nomes e deixou sua marca na memória de brasileiros e brasileiras”.

O ministro dos Direitos Humanos e Cidadania, Silvio Almeida, lembrou da referência que Glória foi para a população negra.

“É com enorme tristeza que o Brasil recebe a notícia da morte da jornalista Glória Maria. Glória foi uma das maiores na sua profissão, mas para além disso, foi uma referência, especialmente para a população negra deste país. Que nossos ancestrais a recebam em festa, Glória”.

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, também destacou a importância da jornalista para as mulheres negras.

“Acabamos de receber a notícia de que Glória Maria faleceu. Meus sentimentos à família. Quem é mulher negra sabe da importância de tê-la visto na televisão. Glória é considerada a primeira repórter negra da televisão e sempre será lembrada como sinônimo de competência”. (Agência Brasil)

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais