Um olhar sobre o que é notícia em toda parte
Uma janela para Montes Claros
(38) 3229-9800
 
Conheça-nos
Principal
Mural
Eu te procuro
Clamor & Broncas
Músicas de M. Claros
Hoje na história
 de M. Claros
Montes Claros
 era assim...
História
Chuvas em M. Claros,
  mês a mês,
 de 1905 a 2012
Memorial de
 João Chaves
Memorial de
 Fialho Pacheco
Reportagens
Concursos
Colunistas Convidados
Notícias por e-mail
Notícias no seu site
Fale conosco
 
Anuncie na 98 FM
Ouça e veja a 98 FM
Conheça a 98 FM
Peça sua música
Fale com a Rádio
Seja repórter da 98
Previsão do tempo
 
Anuncie na 93 FM
Ouça a 93 FM
Peça sua música
Fale com a Rádio
Seja repórter da 93
Publicidade
 
Avay Miranda
Iara Tribuzi
Manoel Hygino
Alberto Sena
Augusto Vieira
Avay Miranda
Carmen Netto
Dário Cotrim
Dário Teixeira Cotrim
Davidson Caldeira
Edes Barbosa
Efemérides - Nelson Vianna
Enoque Alves
Flavio Pinto
Genival Tourinho
Gustavo Mameluque
Haroldo Lívio
Haroldo Santos
Haroldo Tourinho Filho
Hoje em Dia
Iara Tribuzzi
Isaías
Isaias Caldeira
Ivana Rebello
João Carlos Sobreira
Jorge Silveira
José Ponciano Neto
José Prates
Luiz Cunha Ortiga
Luiz de Paula
Manoel Hygino
Manoel Hygino
Marcelo Eduardo Freitas
Marden Carvalho
Maria Luiza Silveira Teles
Maria Ribeiro Pires
Mário Genival Tourinho
Oswaldo Antunes
Paulo Braga
Paulo Narciso
Petronio Braz
Raphael Reys
Raquel Chaves
Roberto Elísio
Ruth Tupinambá
Saulo
Ucho Ribeiro
Virginia de Paula
Waldyr Senna
Walter Abreu
Wanderlino Arruda
Web - Chorografia
Web Outros
Yvonne Silveira
 
Atuais
Panorâmicas
Antigas
Pinturas
Catopês
Obtidas por satélite
No Tempo de Lazinho
Estrada Real Sertão
Mapa de M. Claros
 

10/9/2014 -"...teve até o desfile de um mendigo novo, supostamente drogado, que andou pelo centro, o quarteirão fechado da rua Simeão Ribeiro, completamente nu, exibindo-se". A crescente degradação da Praça da Matriz e vizinhança pede:

»1 - Policiamento mais rigoroso
»2 - Redefinição do uso da praça que é o marco zero da cidade
»3 - Outra reforma física
»4 - Maior empenho das autoridades no cumprimento das leis
»5 - Uma recuperação em todos os sentidos

» Ver resultados «




Buscar no Site


Previsão do tempo

Digite uma cidade:

Busca no



 
 


           Maria Ribeiro Pires    mribeiropires@uol.com.br

81617
Por Maria Ribeiro Pires - 1/6/2016 13:45:56
Dívida de gratidão de Montes Claros e de todo o Norte de Minas De Minas

Por Maria Ribeiro Pires

Há muita dívida com as Irmãs do Colégio Imaculada Conceição.
As moças ainda jovens saíam de cidades pequenas ou de grandes fazendas e iam para o internato do Colégio das Irmãs em Montes Claros. Aprendiam francês, português, matemática... mas acima de tudo aprendiam uma postura de civilidade, de organização que levariam depois de formadas a sua terra natal . Eram professoras e ensinariam às crianças e adultos. Aprendiam a postura à mesa de refeição, a maneira de cumprimentar e de comportarem-se em sala de visitas ou em salas de aulas. Não só aprendiam as disciplinas do currículo escolar... Eram professoras e já crescidas, já moças feitas voltariam para as fazendas sendo arrimo para quem delas necessitassem. Importante a sua ajuda para a Paróquia, para a Prefeitura. Era até um bom partido para um homem que ia se casar com uma professora formada no Colégio Imaculada em Montes Claros. Ensinavam música, piano, pois haviam aprendido no Colégio a tocar, cantar, representar em peças teatrais e passavam a todos o que lhes havia sido ensinado com as Mestras.. Bendito Colégio! Desde os tempos das Irmãs belgas até o s dias de hoje. Educadas, formavam gerações. Se casadas, ensinavam aos filhos nova posturas frente ao Mundo.
Quem se lembra das Irmãs belgas, a Irmã Canuta, Emili? E tantas outras? Vinham Irmãs da Bélgica, mas outras eram brasileiras e traziam saudades e histórias de Araguari, de São Paulo. Irmã Eloina nos contava histórias sobre o plantio do café.
Irmã Beata, Irmã Malvina ficavam na Santa casa, mas outras Irmãs eram destinadas ao magistério.
Com que carinho guardo a lembrança de Irmã de Lourdes, sempre saudosa de Januária e do sol deitando seus raios de luzes sobre o Rio São Francisco
Agora, recebo uma notícia muito triste. Irmã Dulce nos deixou. É como se um pedaço de nossa história estivesse partido. Só agora é que percebemos o bem que fizeram conosco. Mesmo indo para centros maiores suas alunas cuidam-se de se reunir, mostrar fotos e contar fatos da vida escolar. A lembrança do Colégio é indelével.
Talvez Irmã Dulce em sua delicadeza, sua generosidade nunca percebeu o quanto significou para nós o seu sorriso mesmo na gravidade de seus ensinamentos. Agora, fora dos portões do Colégio, fica aquela lembrança do que ela nos ensinou no catecismo de Jesus, e isto nos dá a certeza de que hoje ela está na casa do Pai. Que de lá ela nos abençoe.


80012
Por Maria Ribeiro Pires - 27/5/2015 17:08:42
Cantam sinos por mim, por você, por todos nós! Boa viagem Susana!
Fui a sua casa acompanhando a amiga comum, Terezinha Collares. Como fui bem recebida! Era como se fosse uma antiga companheira que a fazia satisfeita com a visita. Gostei de você imediatamente. Pediu-me que conseguisse do meu irmão Simeão Ribeiro Pires um livro “O Padre e a Bala de Ouro”. Fiz sua vontade. Simeão já estava de cama, passando mal e tenho certeza de que foi o último autógrafo que ele deu ao escrever com dificuldade o seu nome. Entreguei-lhe o livro.
Agora os sinos dobram por Terezinha, por Simeão e por você.
Ontem, li um poema que diz que um vegetal morreu e se transformou em um animal. Um animal morreu e se transformou em ser humano. O humano morreu e se transformou em anjo e pode voar. Boa viagem Susana!


78526
Por Maria Ribeiro Pires - 28/8/2014 10:57:15

Sou cronista do jornal e peço a publicação desta crônica numa homenagem ao aniversário do querido Cândido Canela que seria neste Mês de agosto.

Cândido Canela na história da imprensa de Montes Claros

Maria Ribeiro Pires


Todos de Montes Claros que conheceram Cândido Simões Canela devem sentir um orgulho misturado com remorso. Explico-me melhor. Orgulho porque nós tivemos um grande poeta que cantou nossa terra com humor, graça e talento Remorso, pois entre tantos escritores brasileiros não o celebramos com a justiça que ele merece.

Afinal, celebrar para quê? Ele não suportaria. Cândido era espírita e sabia mais do que ninguém que neste planeta chamado Terra só temos aquelas passagens insignificantes de louvores , adulações e aborrecimentos. São tão passageiros.... Ele deve estar no Reino que Jesus prometeu aos seus seguidores.

Tive a honra de freqüentar a sua casa onde o encontrei muitas vezes, recostado em uma rede, debaixo de um caramanchão de flores, ouvindo o canto de passarinhos soltos, livres.

Cândido contava-me sua vida.

Lá de dentro vinha o cheiro do café de Laurinda. Ela trazia aqueles biscoitos gostosos e tão apreciados. Ambiente de ternura e paz.Contavam-me rindo e fazendo graça como fora o seu casamento. Os pais da moça não queriam saber do noivo. Então, eles fugiram e já com um padre avisado numa cidade vizinha, casaram-se. E pronto! Nunca vi um casal tão perfeito e harmonioso Como devem ter orgulho de Cândido e Laurinda os filhos, netos, sobrinhos, a descendência toda! Até eu! Cândido me dizia: gosto de sua família, de seus pais, irmãos, mas você é especial, Maria. Eu já a encontrei muitas vezes nas minhas vidas.

Acredite quem puder crer. Seus filhos, dignos filhos de um dos melhores casais que já conheci: Reivaldo, Reinins, Reinilson, Reinice e Reinilde. Quantos parentes e amigos daquela época já se foram encontrar com ele no paraíso dos mansos e humildes de coração?

Cândido fez o curso Primário em Montes Claros, diplomando-se na Escola Normal em 1929. Exerceu várias profissões, tais como comerciário e empregado de escritório. Foi escrevente de cartório por vários anos e depois nomeado Tabelião do 1º. Ofício. Eleito e reeleito vereador à Câmara Municipal de Montes Claros teve sempre a atitude corajosa, fartamente elogiada pelo povo .O nosso pequizeiro,Ah! Quem é de Montes Claros sabe o que é comer arroz com carne de sol e pequi. Uma delícia! Foi por sua insistência como vereador, que Cândido tornou intocável o pequizeiro . Sagrado. Árvore preservada. E há aqueles pobres ignorantes que ainda têm a coragem de abater a árvore para fazerem carvão. Faz pena.É dó. O pequi é a carne do pobre, é o bom da cozinha de minha terra e o produto do maravilhoso licor de pequi! Nesta época do ano minha terra cheira a pequi. Bom, quem gosta, ama, quem não gosta deixa prá lá.

Cândido foi contista, cronista e poeta, filiado à escola de Catulo da Paixão Cearense, escrevendo página de humor, lirismo e meiguice...

Vejam esta trova:

Criança, bem comparando
Num pensamento profundo
É lenço branco enxugando
O velho pranto do mundo

Um dia, um viajante deu-lhe um recorte de jornal onde estava impressa uma trova. Sem autor.
Veja, Cândido, você que gosta disto. Trouxe-lhe de lembrança.

Cândido leu e devolveu o papel rasgado . É boa sim...Era dele a trova. Ficou por isto mesmo...
Cândido Canela era culto, normalista e tinha orgulho do francês que aprendera com o Padre Eugênio na Escola Normal de Montes .

Quem já morou em Montes Claros sabe que naquele tempo só havia um jornal”. Gazeta do Norte”, dirigido por Jair de Oliveira. O povo não lia muito e o jornal já estava em perigo de se acabar, não fosse a idéia salvadora de Jair e Cândido.

Criaram uma personagem fantástica chamada Espiridião de Santa Cruz.
Espiridião teria saído de Montes Claros e quem sabe o motivo? Talvez um amor impossível e fora embora para morar em São Paulo.

Entretanto, lembrava-se com saudade de sua terra.Começou a escrever semanalmente para a Gazeta do Norte. O alvoroço das notícias saudosas de Espiridião Santa Cruz fez com que toda gente lesse o jornal, pois falava com detalhes de coisas curiosas e que ninguém queria se esquecer, Por exemplo, ele se referia à Bila, aquela artista em fazer doce de leite seco em forma galinha. Quem não se lembra?E Dona Antônia com sua geléia de mocotó feita com rapadura?

Como se esquecer da elegância de Dulce Sarmento, da pintura de Dona Alzira Cruz? O encanto de pessoa que era Felicidade Tupinambá?, Gente importante ou populares desfilavam com seus casos na pena de Espiridião.Um vizinho de jornal na mão dizia para o outro: Veja aqui como aconteceu o” causo” que te falei! Esse Espiridião sabe de tudo!

E sabia de tudo mesmo o danado do Cândido! Fez a vida literária, histórica e bucólica , de Montes Claros. . O resultado foi fantástico!. Um falatório do povo que fazia fila para comprar a Gazeta e ler as carta de Espiridião. A Gazeta do Norte vendia a mais não poder. Dono de uma memória prodigiosa, Cândido, unia a pesquisa bem feita aos sentimentos mais bonitos da comunidade. Era o orgulho do sertanejo, o amor por sua região, seu clima quente, seus doces e pratos preferidos, seus acontecimentos simples e corriqueiros, mas que espelhavam a alma em que o montesclarence se mira com orgulho e prazer, Cândido vestiu o Espiridião com as roupagens de um homem mais velho que escrevia cheio de saudades de nossa gente em estilo elegante e puro. Cândido deixava de lado suas características, tomadas de Catulo da Paixão Cearense e escrevia sonetos clássicos.

É tal a riqueza da alma humana que aqui neste soneto, vem a pergunta: Cândido jovem inquieto e satírico absorveu ou não o espírito de Espiridião Santa Cruz?

Montes Claros

Autor Cândido Canela - Pseudônimo Espiridião Santa Cruz

Tu és minha vida, meu passado.
O meu presente, o meu final futuro;´
És meu berço de flores perfumado,
Hera viçosa do meu triste muro...
És meu sonho de velho apaixonado.
A noiva eterna a quem amores juro,
A glória deste filho desterrado
O céu de estrelas do meu mundo escuro...
És da velhice a minha mocidade,
Meu pensamento a remoer saudade
De tuas plagas que tanto venero...
Eu te confesso, ó terra exuberante,
Que cada hora que passa, cada instante.
Mais te adoro, muito mais te quero!

Escrevia sobre as cavalhadas na praça da Matriz, onde os cristãos e mouros em soberbas montarias lutavam disputando a princesa

E as festas de congado, fitas coloridas dos catopés que estendiam as ponta da fita aos coronéis, dizendo; “ Botiza aqui, Coroné. !” E uma nota era pregada .... Tudo detalhadamente contado, o sino repicando na Igreja do Rosário. Ah, mês de agosto com o Mestre Sabino... Como brilhavam seus capacetes de espelhos ao sol do sertão!. Suas danças, cantorias, sapateados, a bandeira do Mestre, louvando o santo do dia, comandantes com dragonas de pingentes dourados,dançarinos e as gentes que se juntavam e comiam pé- de -moleque e pipoca e soltavam foguetes. A poeira dourada subia no ar, mas a procissão feliz lá ia cantando, vibrando até à casa do padrinho da festa, escolhido com antecedência de um ano.Eram os pais da rainha, do rei ou os pais do imperador que ofereciam aos dançantes um almoço farto e gostoso! E pandeiro que bate, que vibra, gritando por Nossa Senhora, São Benedito e o Espírito Santo.!

Deus te salve Casa Santa onde Deus fez a morada onde moram o Cálice Bento e a Hóstia Consagrada!..

Quando subia a bandeira do Santo do dia era uma apoteose!

Foguete por todo lado, de estourar os ouvidos,

Através da Gazeta do Norte, Cândido fazia Espiridião lembrar-se de tudo com as minúcias que só um observador atento e coevo poderia ter conhecido

E intrigava a elite intelectual da cidade e o povão que ficava atônito com seus comentários
Não há duvidas de que alguns homens afirmavam ser verdade a história do Espiridião! Pois não é que Marciano Fogueteiro afirmava ter tido um encontro meio violento com Espiridião na mal afamada rua dos Maribondos? A briga entre os jovens fora tão feia que o Marciano mostrava a marca de um tiro no braço, provocado pelo ciúme de Espiridião. Outros diziam terem sido colegas de Grupo de Espiridião. Ele tinha morado mesmo em Montes Claros.

Tudo isto me foi contado por Cândido Canela.

Outros, como o João Felix [duvidava, quando alguém dizia que aquilo era brincadeira de Cândido, pois retrucava prontamente : isto não! Cândido? Não é possível! Ele é uma besta!. Ele nunca seria capaz de escrever cartas e poemas tão bonitos.

Era preciso fazer as honras num grande almoço oferecido em casa de Fina e Dr. Hermes de Paula. Espiridião seria recebido com banda de música e foguetes. Festa anunciada, almoço pronto e cadê Espiridião? Um telegrama chegou a tempo com a notícia da doença do homenageado.

O prefeito Dr Alfeu e o desembargador Dr. Laire arrumaram as malas para visitar o ilustre conterrâneo. Tinham até o endereço.

Rua Tatuapê, no. 115.São Paulo. Malas prontas e desta vez ... tristes notícias. Más notícias. A chegada de uma carta do filho de Espiridião decepcionava todo mundo. Espiridião tinha que morrer da forma mais nobre possível e comovente. O filho narrava emocionado as eternas saudades que o pai sentira de Montes Claros e de seus amigos.

Cândido fundou comigo e com outros sete escritores a Academia Montesclarense de Letras. Só ele, o maior de todos nós, não esteve presente na reunião pois,- como ele dizia,- sua neurose não o permitia sair. Realmente, era de receber com carinho os amigos , mas nunca fazia visitas.

Para alguém que lhe perguntou se o sobrenome “Canela” vinha de ilustre família italiana, ele respondeu prontamente: não, não...é que meu avô tinha as pernas finas e ganhou o apelido de Canela. Ficou na família.

Cândido está presente na história de Montes Claros em todas manifestações de cultura. Foi o grande jornalista da Gazeta do Norte e radialista da ZYD-7 com a “A alma do Caboclo”. Mesmo quem não tinha rádio podia escutá-lo pelos altos falantes que percorriam as ruas da cidade.
Inegavelmente, parte de sua obra literária traz a influência de Catulo de Paixão Cearense em “ Lírica e Humor da Sertão!” E “Rebenta Boi”. No dizer do Historiador Nelson Viana em ambos os livros “ trescala o olor campesino das manhãs de sol ou se destaca a melancolia dos poentes enevoados, entristecidos pelo aboio dos vaqueiros”.

Entretanto, por trás de toda essa poesia estava o espírito meigo, inquieto, crítico de Cândido, captando a simplicidade da gente tabaroa que, apesar de sua aparente inocência, guarda uma boa dose de esperteza, o que não deixa de conter a gargalhada franca do leitor ao ler os inspirados versos de Cândido.

É para rir estes versos:

Mio cozido

Seu douto Marco Alixandre
Moço chique, talentoso
Um dia foi c`umas moças
Na casa de Zé Meloso.
No café do meio dia.
Na mesa Cumadre Chica,
Botou uma travessa cheia
Inté nas bera, de cangica.

Seu doutô, fazendo beiço
Disse às moças cunvencido
Francamente, que num topo
O tal de milho cozido...

Zé Meloso dilicado
Pro doto se adiscurpou:
-Só vancê se aconformando,
Que o mio cru se acabou...


76376
Por Maria Ribeiro Pires - 31/10/2013 14:14:21

Após ler os comentários sobre o 6 de fevereiro de 1930, não posso deixar de dar o meu depoimento:
Conheci o Senador Melo Viana em Poços de Caldas no Pálace Hotel
Elegante, amável . Foi ele quem me procurou para conversar, depois de brincar com o meu filho que mal dava os primeiros passos. Ao me perguntar qual a minha cidade, respondi: Se o Senhor soubesse, talvez não quisesse brincar novamente com meu filho. Sou de Montes Claros
Eu conhecia a história tão comentada em nossa casa “ O Barulho de 6 de fevereiro”
- Engano seu minha senhora, aliás, posso de chamá-la de você. Poderia ser minha filha ou minha neta...
Contou-me sua versão dos acontecimentos que tanto abalaram nossa cidade.
“João Alves e eu éramos êmulos, estudantes do Caraça. Carteiras unidas, camas juntas e de acordo com a pedagogia dos padres éramos unidos, mas de certa forma competidores. Tínhamos que competir em notas , comportamento e tudo o mais que o Colégio exigia.Afinal, ficamos mais do que irmãos. Éramos muito amigos. Adultos , a vida nos separou. Sempre tive vontade de revê-lo. Quando já na Vice-Presidência da República, fui encarregado de ir a Montes Claros, fiz uma única exigência. –Quero ver meu amigo. Quero cumprimentá-lo. Por esse motivo, a comitiva mudou o percurso , passando em frente a casa de João Alves. Eu o vi, passeando na calçada de sua casa. Tirei o meu chapéu para saudá-lo. Começaram os tiros. Uma bala passou raspando o meu pescoço. Não entendi na hora e até hoje não sei o que causou tanto pânico. A comitiva voltou comigo.
O Senador havia passado a mão na nuca, mostrando-me uma pequena cicatriz.
Mineira desconfiada, pensei que o Senador não nos procuraria mais. Que engano! À hora do jantar, música de piano de cauda, sua mulher desfilava com seus amigos com vestes lindas e ofuscantes brilhantes. O Senador se desviava e vinha para meu espanto à mesa que ocupávamos para me cumprimentar.
Este fato se deu no final do ano de 1951.


69521
Por Maria Ribeiro Pires - 7/11/2011 16:12:14
(...) Estou enviando uma pesquisa que fiz sobre Aracy de Carvalho,casada com João Guimarães Rosa. Irei apresentar este texto na Academia Arcádia de Minas Gerais, na próxima quarta feira. Aracy de Carvalho, a JUSTA - Maria Ribeiro Pires
Baseio estas palavras no livro "JUSTA - Aracy de Carvalho e o resgate de judeus, trocando a Alemanha nazista pelo Brasil". É o resultado de grande pesquisa feita pela historiadora Mônica Raisa Schpun, fruto de depoimentos e entrevistas. A autora é doutora em História pela Universidade de Paris com pós-doutorado na Universidade de Milão. Ela relata a grande amizade entre as duas mulheres, Aracy de Carvalho e Margarethe Levy, aproximadas pela tragédia da época. Aracy de Carvalho, brasileira, filha de pai português e mãe alemã, nasceu em Rio Negro, Estado do Paraná. Depois, viria morar em São Paulo. Recém-separada do marido embarcou em cinco de março de 1934 no navio Monte Pascoal com o filho de cinco anos Eduardo Tess, com destino a Hamburgo. Aracy passou a viver algum tempo em Hamburgo com uma tia alemã irmã de sua mãe. Um dos seus primeiros desejos foi comprar um carro e aprender a dirigir. Dominando perfeitamente o francês e o alemão, conseguiu trabalhar no consulado brasileiro, onde quatro anos depois conheceu o cônsul adjunto João Guimarães Rosa, com quem teria uma ligação amorosa e uma vida conjugal até a morte do escritor. Casaram-se no México. Maria Margarethe Bertel Levy, nasceu em Hamburgo e tinha 97 anos quando deu essas informações a autora deste livro. Estava lúcida e falando um excelente francês. Filha de mãe russa e pai polonês, Margarethe foi casada com o dentista Hugo Levy. O casal decidiu não ter filhos e levava uma vida sofisticada, viajando muito. Ela era rica, falava sete idiomas, cosmopolita e integrante da elite de Hamburgo. Ambos eram judeus não praticantes, liberais e seu marido atendia a todos em seu gabinete dentário, em pleno coração de Hamburgo, sendo alemães ou judeus. O casal foi considerado como membro de "raça inferior" pelos nazistas e decidiu sair da Alemanha para o Brasil. Com o aumento das atividades anti-semitas com os judeus, apresentadas por Hitler em Nuremberg no congresso do Partido Nazista em setembro de 1935, Margarethe e Hugo Levy apresentaram-se ao consulado Brasileiro de Hamburgo, solicitando vistos para o Brasil. Assim, conheceram Aracy, chefe do setor de passaporte. Is to foi conseguido com dificuldades e realmente conseguiram partir para São Paulo em 1938. Como era diferente a vida das duas - Margarethe, mulher de grande riqueza e Aracy trabalhando e cuidando do filho. Em meio a tantos obstáculos aconteceu uma grande amizade entre as duas, o que as uniria por toda a vida. Como no caso de Margarethe e Hugo, Aracy conseguiu a concessão de vistos para centenas de judeus, correndo sérios riscos de ser demitida e entregue à Gestapo. Pelo ato de coragem, compaixão e solidariedade, salvando a vida de inúmeros judeus, Aracy de Carvalho foi homenageada em 1882, com o título de "Justa entre as Nações" concedido pelo Museu do Holocausto de Jerusalém. No dia 28 de abril de 1982, ela já estava em São Paulo e, comovida, recebeu a medalha do Holocausto. Dentre os 20 mil "Justos" reconhecidos, 30 eram diplomatas em postos na Europa nazista. Desses trinta, dois são brasileiros e uma única mulher, Aracy de Carvalho. O outro é Luiz Martins de Souza Dantas, ex-embaixador do Brasil em Paris. Aracy deu uma entrevista ao jornal Resenha Judaica por ocasião de seus 80 anos. Sua nora, Beatriz, estava ao seu lado e contou um fato que teria ouvido da boca de sua sogra. Trata-se de uma viagem que Aracy teria feito à Dinamarca, levando judeus em seu carro. Na fronteira, a polícia alemã quis revistar o carro, mas Aracy resistiu, levantando a voz e invocando a imunidade que sua placa consular lhe proporcionava. Aracy reafirmou depois: "não só lhe procurei conceder-lhes os vistos, como escondi alguns em minha casa e até no porta-malas do carro para atravessar a fronteira". O mistério permanece. Por que ir à Dinamarca? Talvez para levar dinheiro para o exterior. Parece que, nessa época, Hugo corria sério perigo e ficou algum tempo escondido em casa de Aracy. As providências para os vistos exigiam quinhentos contos de réis ao Brasil, para a assinatura prévia da autorização de desembarque, já que o casal fora considerado "capitalista" e Aracy desejava o visto permanente e não o de turista. Segundo Margarethe, o casal já tinha tirado seu capital da Alemanha. Ela comprara um carro novo e nova aparelhagem para o serviço de dentista do marido. Era necessária uma verdadeira manobra financeira para fugir do controle dos nazistas. A solução, segundo Margarethe conta, foi dada por Aracy que enviou a carta pelo correio diplomático, driblando a censura alemã. Sempre discreta e nunca recebendo presentes ou pagamentos dos judeus que ajudara em suas atividades, Aracy disse em uma de suas poucas entrevistas a respeito: "Nunca tive medo, quem tinha medo era Joãozinho. Ele dizia que eu exagerava, que estava pondo em risco a mim e a toda família, mas não se metia muito e me deixava ir fazendo". Aliás, João Guimarães Rosa afirmava que tinha pena e gostaria de salvar a vida dos miseráveis judeus. São palavras de Aracy: "O Joãozinho, é claro, atendia a todos os pedidos de boa vontade. Ele sempre dizia "Se eu não lhes der o visto, essa gente acabará morrendo e aí vou ter um peso na minha consciência." Este livro retrata em riquíssimos detalhes o cenário com contexto histórico e social em que se misturam os primeiros anos do Terceiro Reich e a política restritiva imposta por Getúlio Vargas sobre a entrada de judeus no Brasil. Estimulada pelo Livro"Justa", procurei compreender melhor a tragédia sofrida pelos judeus na época nazista. Fiz pesquisas sobre a chamada "Noite de Cristal". Aprendi: nas noites de 9 e 10 de novembro de 1938, numa manobra cuidadosamente orquestrada por Joseph Goebbels - o chefe da propaganda nazista por toda Alemanha e recém conquistados territórios da Áustria e Checoslováquia, as populações judaicas foram vítimas de atentados e ataques continuados nas ruas e em suas casas e nas sinagogas, naquela que seria a maior tragédia da história. Pelo menos duas mil sinagogas e perto de oito mil lojas e escritórios foram incendiados. Mais de trinta mil judeus foram presos e enviados a campos de concentração. Para os judeus alemães, as restrições haviam começado muito antes da "Noite de Cristal" e leis e medidas anti-judaicas eram já aplicadas há vários meses. Entre as numerosas diretivas, os cidadãos judeus eram obrigados a declarar todos os bens, suas empresas e pequenas lojas ti nham de ser registradas e expressamente sinalizadas; os inquilinos judeus perderam todos os seus direitos legais; médicos, advogados e professores judeus foram proibidos de exercer suas profissões. Todos os judeus alemães passaram a ser obrigados a possuir um passaporte especial, marcado com um "J" e um nome próprio foi acrescentado a cada judeu: "Israel" para os homens e "Sarah" para as mulheres. A "Noite de Cristal" foi uma bofetada no rosto da Humanidade, como lhe chamou Elie Wiesel. Mas o mundo ignorou os sinais e voltou o rosto. O Holocausto estava à porta. O termo "Justo entre as Nações" existe desde 1953 e é dado a não judeus que se arriscaram para salvar judeus durante o genocídio nazista. O termo "Justo entre as Nações" é a tradução de uma expressão hebraica de origem rabínica referente aos não judeus que acreditavam em Deus e exprimiam uma atitude amigável em relação ao povo de Israel. Mesmo após as dificuldades da saída da Alemanha para o Brasil, ainda havia o problema do visto temporário de três meses - vistos de turistas. Passado esse tempo, os portadores eram tratados como clandestinos. Isto implicava em diversas dificuldades de ordem prática, como o trabalho. Os judeus não eram afeitos à agricultura. Eram urbanos. Além disto, Aracy ainda ajudou a resolver problemas de ordem financeira para os seus amigos judeus. Ela mesma trouxe, em um saco, jóias e pertences e conseguiu com amigos da aduaneira que o casal Levy fosse menos importunado ao desembarcar no Brasil. Coisas estranhas acontecem. Um alemão levou em Hamburgo ao consultório dentário de Hugo Levy a notícia de que se apressassem, pois o perigo estava prestes a desabar sobre eles. A explicação que Margarethe dá para esse procedimento é que a mãe de Hugo tinha dado o seio ao alemão quando ele nascera. Conta ainda que os seus cabelos foram tingidos e que, felizmente, tinha o nariz pequeno ao contrário do que caracterizava o rosto dos judeus de nariz adunco. Madame Levy repetia esta história diversas vezes, plenamente convencida de que seu novo aspecto físico tinha sido uma defesa importante. Margarethe diz que sua mãe demorara em uma viagem à Polônia e em seu retorno fora assassinada. O celebrado médico e escritor João Guimarães Rosa, foi eleito para a Academia Brasileira de Letras a seis de agosto de 1963, sendo recebido por Afonso Arinos de Melo Franco em 16 de novembro de 1967. Guimarães Rosa faleceu três dias depois, em 19 de novembro de 1967. Sempre discreta, Aracy de Carvalho não se preocupou com toiletes para posse do seu famoso marido nas lides literárias, como membro imortal da Academia Brasileira de Letras. Por insistência de Margarethe, Aracy usou um vestido preto e um colar de pérolas. Depois do falecimento de Guimarães Rosa, Aracy ainda viveu alguns anos em casa de seu filho e nora no Rio. No dia da morte do marido ela estava justamente assistindo uma missa na Igreja de Nossa Senhora de Copacabana. Sua vida tornou-se silenciosa, discreta e cercada por amigos reconhecidos. Aracy morreu aos 102 anos em três de março deste ano de 2011, poucos dias depois da morte de sua amiga Margarethe. Ela sofria de Mal de Alzhimer. Guimarães Rosa dedicou-lhe o seu livro "Grandes Sertões Veredas", escrito em 1956. Diz assim a dedicatória: "À Aracy, minha mulher Ara, pertence este livro". Aracy deixou quatro netos e oito bisnetos Perdão, Aracy não morreu. Ficou encantada como dizia João Guimarães Rosa.




Selecione o Cronista abaixo:
Avay Miranda
Iara Tribuzi
Manoel Hygino
Alberto Sena
Augusto Vieira
Avay Miranda
Carmen Netto
Dário Cotrim
Dário Teixeira Cotrim
Davidson Caldeira
Edes Barbosa
Efemérides - Nelson Vianna
Enoque Alves
Flavio Pinto
Genival Tourinho
Gustavo Mameluque
Haroldo Lívio
Haroldo Santos
Haroldo Tourinho Filho
Hoje em Dia
Iara Tribuzzi
Isaías
Isaias Caldeira
Ivana Rebello
João Carlos Sobreira
Jorge Silveira
José Ponciano Neto
José Prates
Luiz Cunha Ortiga
Luiz de Paula
Manoel Hygino
Manoel Hygino
Marcelo Eduardo Freitas
Marden Carvalho
Maria Luiza Silveira Teles
Maria Ribeiro Pires
Mário Genival Tourinho
Oswaldo Antunes
Paulo Braga
Paulo Narciso
Petronio Braz
Raphael Reys
Raquel Chaves
Roberto Elísio
Ruth Tupinambá
Saulo
Ucho Ribeiro
Virginia de Paula
Waldyr Senna
Walter Abreu
Wanderlino Arruda
Web - Chorografia
Web Outros
Yvonne Silveira
 



Voltar à Página Inicial

 






Um olhar de Montes Claros sobre o que é notícia em toda parte
Uma janela para Montes Claros


Clique e acesse nosso Twitter
Siga o montesclaros.com


Últimas Notícias

16/01/18 - 15h
Confirmadas 11 mortes por febre amarela em Minas. Um morador foi infectado, mas se curou

16/01/18 - 14h
Todo o Estado de São Paulo está em área de risco para a febre amarela. Viajantes a qualquer área devem se vacinar

16/01/18 - 13h
Manchetes dos jornais: “Motoristas mudam para gás com alta da gasolina” - “Em 3 anos, Estados saem do azul para rombo de R$ 60 bi” - “Juízes vão pedir segurança reforçada no ‘Dia D’ de Lula”

16/01/18 - 12h
Terra volta a tremer nas proximidades de BH, desta vez a 123km. Tremor atingiu 2,8 graus

16/01/18 - 11h
“Pela primeira vez, Deus me deu uma chuteira nova, por que eu não vou mostrar ? - brinca Pelé

16/01/18 - 10h
Meteorologia passa a ver nova rodada de chuvas em M. Claros a partir de 23 de janeiro

16/01/18 - 9h
13h, centrão de M. Claros: ladrões armados vão tomar malote nas proximidades de agência bancária

16/01/18 - 8h
Dolores O´Riordan, vocalista do Cranberries, tinha 46 anos e 3 filhos, e vendeu mais de 40 milhões de álbuns

16/01/18 - 7h
Governo quer fazer, neste ano, 1,2 milhão de perícias nos benefícios pagos pelo INSS


15/01/18 - 18h
Testes de vacina contra vírus da zika devem começar, ainda neste mês, em Belo Horizonte

15/01/18 - 17h
Brasil cresceu 0,49% em novembro, aponta prévia do PIB

15/01/18 - 16h28
“Quem acompanha os fatos, através de qualquer meio de comunicação, sabe perfeitamente que não é o primeiro, nem será o último acidente com muitas vítimas naqueles rincões”

15/01/18 - 16h
"Eu acho que nós estamos no limite. Estou realmente com medo disto” - diz o Papa, temeroso de uma guerra nuclear

15/01/18 - 15h
Minas tem 43 municípios com água racionada em plena estação das chuvas - mostra jornal

15/01/18 - 14h
2 homens da zona rural de Mariana e 1 de Caeté morrem em BH com sintomas da febre amarela

15/01/18 - 13h
Manchetes dos jornais: “Exército teme que crime organizado contamine tropa” - “Minas tem racionamento em pleno período chuvoso” - “União cobra R$ 14,4 bi de igrejas, times e entidades”

15/01/18 - 12h
Exército teme que crime organizado contamine tropa – resume manchete paulista

15/01/18 - 11h00
"Disse o general, que se mantém à frente do Exército Brasileiro, apesar de doença degenerativa que limita os seus movimentos, físicos: “As eleições, de certa forma, representarão um plebiscito em relação à Lava Jato.” Pano rápido"

15/01/18 - 10h55
M. Claros vai ter concurso para 1000 vagas na educação (400 para professor), com salário base de 2.055 reais. Edital será publicado em março

15/01/18 - 11h
Salvador registra morte por febre amarela, a primeira em 18 anos. Doença foi contraída em cidade a 880 km de Montes Claros

15/01/18 - 10h
Há 80% de chances de chover 10mm, hoje, em M. Claros, e mais nada até 20 de janeiro - informa a meteorologia

15/01/18 - 9h42
O acidente com 13 mortos nesta extensa reta, bem sinalizada: "...solicitou, sem sucesso, o transporte dos corpos das vítimas em avião da Força Aérea Brasileira (FAB). Ainda na noite de ontem..."

15/01/18 - 9h
Atriz Catherine Deneuve pede desculpas às vítimas de assédio sexual, "a elas, somente"

15/01/18 - 8h
Funcionário apertou o botão errado. E o Havaí, em pânico, acreditou que todos - 1, 5 milhão - morreriam em 15 minutos

15/01/18 - 7h
Tribunal de Justiça de São Paulo abre concurso com 235 vagas de escrevente. Salário é de 4.706 reais


13/01/18 - 20h02
Chuva de granizo (de 26mm nos Morrinhos) inundou avenida de M. Claros (veja imagens), interrompeu o tráfego e danificou telhados. Não se sabe se o avião a serviço da Copasa atuou para fazer chover. Ventos chegaram a 42 km/h

13/01/18 - 18h00
Galo pode escalar time reserva contra o Boa Esporte, quinta, pelo Campeonato Mineiro

13/01/18 - 17h00
Estudante que não fez o Enade pode regularizar situação até 31 de janeiro

13/01/18 - 16h00
Atlético pode adiar estreia de Fred com a camisa do Cruzeiro no Campeonato Mineiro

13/01/18 - 15h00
Pessoas com mais de 65 anos que recebem o BPC devem se cadastrar até dezembro deste ano

13/01/18 - 14h
Rapaz de 20 anos ganha 1,44 bilhão de reais em loteria dos EUA

13/01/18 - 13h
Casos prováveis de chikungunya crescem 3.500% em Minas, de um ano para outro - foram 16.789 casos só em 2017

13/01/18 - 12h
Irã condena e classifica novas sanções dos EUA como “ilegais e hostis”

13/01/18 - 11h
Manchetes dos jornais: “Pressão por reforma aumenta após rebaixamento” - “Planalto teme que tensão eleitoral atrapalhe economia” - “Julgamento de Lula provoca encontro de cúpula do judiciário”

13/01/18 - 10h
Meteorologia diminui e transfere para segunda-feira chuva prevista para hoje e amanhã em M. Claros

13/01/18 - 9h34
Santa Casa de M. Claros: “.... o hospital está atendendo somente os casos de emergência com iminente risco de morte que chegarem inadvertidamente ao Pronto Socorro e casos agudos de referência exclusiva (casos com classificação vermelha)”

13/01/18 - 9h08
(Sobe para 13 o número de mortos no acidente na BR 251, na altura de Grão Mogol, envolvendo carreta, micro-ônibus, vans e carro. Os feridos são 39. Van, com 7 mortos, é de Catolé do Rocha, Paraíba)

13/01/18 - 9h
Suspeito da morte do delegado, no Rio, seria traficante de drogas, com longo prontuário

13/01/18 - 8h
Preço médio da gasolina sobe pela 11ª semana seguida e chega a R$ 4,18. Alta acumulada em 2018 é de 2%

13/01/18 - 7h
Concurso da UFMG - com inscrições entre 19 de fevereiro e 12 de março - tem 55 vagas para cargos técnicos e administrativos


12/01/18 - 18h
Estreia na Libertadores provoca o adiamento de jogo do Cruzeiro pelo Campeonato Mineiro

12/01/18 - 17h
Com novo salário mínimo, valor da parcela do seguro-desemprego também aumenta

12/01/18 - 16h
A partir de segunda-feira, mineiros cadastrados receberão alerta, no celular, sobre desastres naturais

12/01/18 - 15h
Concurso da Petrobras, com salário de até 10.544 reais, tem edital revisado. Total de vagas aumentou de 57 para 112

12/01/18 - 14h
Dose fracionada de vacina não será aceita para quem vai fazer viagem internacional

12/01/18 - 13h
Resultado do Enem foi antecipado para o dia 18 de janeiro. Treineiros terão acesso 60 dias depois

12/01/18 - 12h
Manchetes dos jornais: “Agência rebaixa mais a nota do Brasil como mau pagador” – “Agência de risco reduz nota e afeta credibilidade do país” - “Agência rebaixa nota do Brasil e critica a falta de reformas”

12/01/18 - 11h
Meteorologia recua e passa a ver chance de chuva em M. Claros: 5mm hoje e amanhã, 10mm domingo, e nada até o dia 21

12/01/18 - 10h15
"Ainda que ajuntados de improviso, para os protocolos da Vida e da Morte, o som dos tambores e caixas, sua mística, impuseram silêncio incomum num lugar que é de silêncio, enquanto, conduzindo o corpo envolto por fitas e rumores, atravessavam as sepulturas em quarteirão, cantando, cantando"

12/01/18 - 10h
"Por que todas essas pessoas de países de merda vêm para cá?" - pergunta Trump

12/01/18 - 9h
4 mortes por febre amarela foram confirmadas, ontem, em Minas, 3 em Nova Lima

12/01/18 - 8h
Menino de 5 anos morre em BH e eleva para 14 o número de mortos na creche de Janaúba. Mulher, estável, é a última internada

12/01/18 - 7h
“Fraquezas do Brasil” levam agência de risco a rebaixar a nota de crédito de bom pagador. Nota pegou o governo de surpresa


11/01/18 - 18h
Time mesclado do Atlético inicia, hoje, disputa do torneio da Flórida contra equipe escocesa

11/01/18 - 17h
Casos de hanseníase aumentam em Minas. Em 2016 foram 5 novos registros para cada 100 mil habitantes

11/01/18 - 16h
Argentino, de 28 anos, é o 2º reforço mais caro do Cruzeiro na atual janela de transferências

11/01/18 - 15h
Carteira brasileira de motorista passará a valer na Itália a partir do próximo sábado

11/01/18 - 13h55
"...hoje, em algum momento entre 16 e 18h, eles vão chegar, cantando, ao cemitério de M. Claros. Levam, para sepultar, o corpo do carroceiro João Faria, chefe do Segundo Terno de Nossa Senhora, ontem falecido. (...) É seguir os seus tambores, próprios do mês de agosto, mas despertos, prontos para irromper, nas Cerimônias do Adeus"

11/01/18 - 14h
Esta foto, obtida pela Nasa a 3 milhões de quilômetros, mostra Terra e Lua, iluminadas pelo Sol, e a nossa insignificância no Kósmos

11/01/18 - 13h
CGU identifica acúmulo irregular em 44 mil aposentadorias, pensões e auxílios pagos pelo INSS

11/01/18 - 12h
Manchetes dos jornais: “Juros turbinam IPVA parcelado no cartão” - “Aposentadorias sobem 2,07%. Teto do INSS vai para R$ 5.645” - “Inflação fica em 2,95%, a mais baixa em 20 anos”

11/01/18 - 11h
Nos últimos 7 meses, febre amarela matou (só em Minas) em Brumadinho, Nova Lima, Carmo da Mata, Mar de Espanha e Barra longa. Há outros 10 casos

11/01/18 - 10h
Norte adverte Coreia do Sul a abandonar manobras militares com os EUA

11/01/18 - 9h
Voltou a chuviscar ontem à noite, em M. Claros, mas a chuva de 6mm não caiu. Mantida a previsão de solitária chuva (de 15mm), domingo, e nada mais até o sábado 20

11/01/18 - 8h
Mãe de 3 filhos, de 23 anos, é empurrada ("por ordens do diabo") no fosso do metrô, e escapa de 4 vagões. Foi em S. Paulo

11/01/18 - 7h
Teto do INSS sobe mais do que o salário mínimo e vai a 5.645 reais


10/01/18 - 19h32
O plantador de chuvas: “Toda vez que chovia ele saia correndo pelo seu terreno, vendo como a água corria e para onde ia. E então ele começou a perceber que em algumas áreas o cultivo de alimentos não funcionava porque...”

10/01/18 - 19h23
A partir de amanhã, e por 4 meses, Copasa diz que pretende fazer chover sobre a Barragem de Juramento, que está com 20% de sua capacidade em pleno período chuvoso. População sofre com demorado racionamento

10/01/18 - 18h
Preço da gasolina sobe em 21 estados na 1ª semana de 2018. Alta foi de 3,27% em Minas

10/01/18 - 17h
Para Banco Mundial, emergentes vão puxar crescimento global em 2018. Projeção é de 2% no Brasil

10/01/18 - 16h
3 homens, entre eles um funcionário da sua pousada, são condenados pela morte da cantora de “Chorando se foi”, morta dentro de carro incendiado

10/01/18 - 15h
Decreto de Temer extingue 60 mil cargos vagos ou que esperam concursos

10/01/18 - 14h
"Como mulheres, não nos reconhecemos neste feminismo que, além de denunciar o abuso de poder, incentiva um ódio aos homens e à sexualidade” - resume manifesto francês com assinatura de Catherine Deneuve

10/01/18 - 13h03
Morre o chefe catopê João Faria, um personagem de M. Claros, o rosto que se confunde com as Festas de Agosto

10/01/18 - 13h
Manchetes dos jornais: “Minas confirma mais duas mortes por febre amarela” - “Governo federal extingue 60,9 mil cargos públicos” - “Governo recorre ao Supremo para dar posse a Cristiane Brasil”

10/01/18 - 12h
Aconteceu perto de Brasília DF. Homem é arremessado ao ar, quando dirigia moto pela contramão

10/01/18 - 11h
Confirmadas mais duas mortes em Minas por febre amarela: em Nova Lima e Carmo da Mata

10/01/18 - 10h52
"Lenny Kravitz está namorando uma brasileira", diz jornal de S. Paulo. E ela é de Montes Claros

10/01/18 - 10h
Inflação brasileira fecha 2017 em 2,95%, abaixo do piso da meta (3%) e a menor em duas décadas

10/01/18 - 9h
Temer vai ao Supremo para manter posse da nova ministra do Trabalho



OUÇA E VEJA A 98 FM
Todos direitos pertecentes a Rádio Montes Claros 98,9 FM. O material desta página
não pode ser publicado, transmitido por broadcasting, reescrito ou distribuído
sem prévia autorização