Receba as notcias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 23 - sexta-feira, 9 de junho de 2023


Davidson Caldeira    [email protected]
80070
Por Davidson Caldeira - 9/6/2015 09:26:22
Falando das questes urbanas - Contribuio urbana

Montes Claros vive hoje os problemas urbanos das grandes cidades: violncia, trnsito catico e falta de espaos pblicos e reas verdes. Algumas questes urbanas devem ser colocadas em discurso, pois refletem na qualidade de vida da cidade em que vivemos. Por um lado, sabemos que o adensamento urbano controlado bom, uma vez que a cidade ideal aquela onde as pessoas moram, trabalham e se divertem num mesmo bairro, por isso importante incentivar o uso de moradia no centro da cidade. Este conceito evita os grandes deslocamentos entre o trabalho e a moradia. A ideia de edificaes altas no malfica, desde que ocupem apenas 25% a 40% do terreno, deixando reas livres permeveis para paisagismo e lazer. Porm, nossa legislao de Uso e Ocupao do Solo atual permite que um terreno antes ocupado por 4 casas (20 moradores) se transforme em uma edificao de 20 pavimentos com 80 apartamentos (400 moradores). Este tipo de empreendimento causa impactos negativos ao espao, pois ocupa toda a rea do terreno no subsolo, trreo e 2 pavimento, sem nenhuma contribuio urbana. No deveramos ser contra as edificaes altas, afinal as cidades no podem ser muito horizontais, pois o custo da infraestrutura e do transporte pblico se torna impagvel. Por outro lado, a legislao deve equilibrar o uso do solo permitindo grandes coeficientes de aproveitamento do terreno com pequenas taxas na ocupao e principalmente exigindo que grandes empreendimentos deem a sua contribuio para o espao pblico urbano. Na prtica, uma forma de se fazer isso exigir que edifcios altos sejam construdos com afastamento frontal de 10 metros, criando uma praa pblica neste afastamento, com rea verde permevel. Essa praa aberta a populao seria a compensao do impacto gerado pelo empreendimento, alm obviamente de valorizar todo o entorno do edifcio.
Davidson Caldeira arquiteto, urbanista, construtor e professor universitrio.


79657
Por Davidson Caldeira - 26/3/2015 08:21:53
LEMBRANAS DO BAIRRO SO JOS.

Nasci e vivi ate aos 17 anos na Rua Antonio Rodrigues (rua da ladeira) esquina com Rua Joaquim Sarmento, bairro So Jos, que era a ultima rua do bairro, pois depois dela s existia Rua no Alto So Joao. Era uma poca onde a convivncia com os vizinhos fazia de todos uma s famlia. Vivamos na rua e na quadra do campo do Ateneu sempre nos divertindo. Convivamos tambm com vizinhos da Rua ngelo de Quadros, pois era o caminho natural para o centro da cidade. Enumerarei adiante pessoas que lembro eram moradores dessas duas ruas: comeando pela parte baixa da Rua Antonio Rodrigues lembro da famlia de Adailto, Ademir e Gilmar irmos da falecida Dra Magda Novais esposa do Dr. Laecio; tambm lembro de Giltao (morreu em Janauba) irmo de Marco senador, Felisberto Caldeira sempre com um carro novo, Erico Verssimo, Dorinha e seu irmo Kunkun que se queimou com lcool, a famlia de Pedro Campos que comercializavam com madeira, Seu Aderval, Eliane e seu irmo Antenor, Zuca com sua coleo de discos de rock, Marco da venda, a famlia Cristo que tinham um Vemaguete, dona Iracema que furava as bolas que caiam no seu quintal, minha V materna Dona Niquinha que faleceu em 1969, a numerosa famlia de seu Gasparino (Fia, Tonico, Pedro, Julia, Iris, Terezinha, Lucia, Marnice, Junia, Gilson tinga, Geraldin e Junior todos muito bem educados por Dona Lia e a V dona Olegaria) a tambm numerosa famlia de seu Durval (Toninho barriga, Lourdes, Ronaldo, Haroldo, Duda, Beto, Zez, Adailton, Cssia e Suely todos amados pela inesquecvel dona Maria). Continuando pela Rua Antonio Rodrigues me lembro da famlia de Dona Marg, (Neto, hoje dono do Prisma, Marcelo, Betnia e seus primos Marcelin e sua Irma, alem de Joo Cari), a famlia de Seu Moreira e dona Preta (Robson, Rildson, Sonia, Simarly e Simone), a famlia de seu Enock (Marcos, Marcone e sua Irma), a famlia de seu Zim Bahia (Cotrim, Valder, Junior e Jura e sua me dona Helena), a famlia de seu Dener (Euler, d ono da Dorata, Euvaldo Fominha, Denim, e suas bonitas irms Ude, Mrcia, Milena e as mais novas), a famlia de Dr. Osvaldo Antunes, e terminando na esquina da ngelo de Quadros com as famlias de Paulo celeiro e seu irmo ou cunhado. Continuando a ladeira moravam os Proenas, os Capuchinhos, um tal de Hitler, Nelson Biotecnico, Hiram e seus irmos e a famlia de Lucia, Robertim e Bilu Malveira. Na Rua ngelo de quadros moravam a famlia de Denarte Davila com seus dez irmos, todos com nomes de origem alem, Jose Luis Cabelim, j falecido, a famlia de Paulo Nascimento, hoje brilhante engenheiro estrutural, a famlia de Caca e suas irms Gislane e Geiza, esposa do tambm brilhante engenheiro Joo Guimares, os irmos Cssio e Tam, os irmos Dezoitao e Cheba, Eduardo Narciso, Seu Mariano instrutor de auto-escola, a famlia de Valdir Macedo, a famlia de Juvenal Caldeira, lembrando principalmente de Vanguim, falecido precocemente, e a famlia de Orlando Cunha, Cleber e seus de z irmos. Na quadra do Ateneu convivamos tambm com a turma da igrejinha, Torresmo, Cabila, Belao, Paulo boca cheia, Carisvaldo, Bunha e outros. Tambm me lembro de alguns vizinhos que moravam na Rua Gregrio Veloso como, por exemplo, do pai do nosso prefeito Ruy Muniz, onde sempre tinha vrios carros novos na garagem e tambm do jornalista Manoel Freitas. Devo ter esquecido de algumas pessoas, portanto quem se lembrar que complete essa lista.


79048
Por Davidson Caldeira - 25/11/2014 17:48:21
Estrias da Prefeitura -. Por volta do ano de mil novecentos e Mario Ribeiro eu era chefe da diviso de obras da Prefeitura de Montes Claros e fomos juntamente com o entao secretrio de planejamento Petronilho Narcisio e a Secretria de educao Baby Figueiredo aos bairros Ciro dos Anjos e bairro Joaquim Costa escolher um terreno para construir uma escola, quando foi questionado a secretria da educao se aqueles bairros precisariam de realmente uma escola com 16 salas de aula. Antes da resposta da secretria um morador se adiantou e disse: enquanto a prefeitura construisse a escola os moradores fariam os meninos...no deu outra, quando ficou pronta a escolaMestra Fininha, ja ficou pequena para tantos meninos que nasceram naquele bairro.


78159
Por Davidson Caldeira - 18/6/2014 11:34:44
Solues Urbansticas para Montes Claros - rea Central Em Montes Claros tudo e todos convergem para a Praa Dr. Carlos, oriundos das ruas Dr. Santos e Camilo Prates. Ora, sabido que essas duas vias no tem porte, no tem largura para continuar recebendo o trnsito de veculos grandes como os nibus urbanos. Alm disso, os "pontos de lotao" j no cabem na praa Dr. Carlos. Os pedestres andam pelas ruas, pois os passeios tem em mdia um metro de largura, e os carros ainda ficam estacionados nas vias, como na Rua Dr. Veloso e adjacncias. Como soluo urbanstica para a rea central teramos a seguinte ao: Transferir o trajeto dos coletivos urbanos para as Avenidas Francisco S, prximo a Praa da Catedral, descendo pela Coronel Joaquim Costa at a Praa de Esportes. No outro sentido os coletivos poderiam passar pela Avenida Coronel Prates ou at pela avenida Sanitria. O importante que o trajeto dos coletivos urbanos sejam desviados das ruas Dr. Santos e Camilo Prates. Feito essa mudana precisamos reurbanizar a rea Cent ral com alargamento das caladas para trs metros, deixando apenas uma via central de 3,50 metros para trnsito local, ambulncias, viaturas e carros de bombeiros. Os passeios devero ser refeitos com a padronizao dos pisos em intertravados de concreto com lixeiras e mobilirio urbano. Alguns quarteires podero ser totalmente fechados e em conjunto com lojistas tero horrio de funcionamento das lojas estendidas. Em fim, devemos fazer renascer o uso da rea Central, que est perdendo terreno para os shoppings centers. DAVIDSON CALDEIRA Arquiteto Urbanista e professor universitrio


77964
Por Davidson Caldeira - 15/5/2014 11:18:38
Qual cidade queremos para o nosso futuro?

Montes Claros o polo de uma regio que abrange dois milhes de pessoas, se no vejamos: passe uma linha horizontal no mapa de Minas do tringulo mineiro para cima e constate que a nica cidade grande Montes Claros, isto sem contar com o sul da Bahia, que tambm converge para c. Isto parece muito bom, afinal somos a maior cidade, a que mais cresce na metade do terceiro maior Estado da Federao. Acontece que a qualidade de vida vai ficando inversamente proporcional ao crescimento da cidade, pois o municpio no consegue suprir as deficincias de infraestruturas necessrias a esse crescimento, que acaba se tornando desordenado. Ento o que fazer? A curto prazo, fazer as obras de infraestrutura: terminar as Avenidas Sidney Chaves (que o prefeito Ruy est concluindo brilhantemente), Bicano, Vargem Grande e Pai Joo. Tambm urgente a reurbanizao das ruas centrais, privilegiando o pedestre, com o alargamento dos passeios e fechamento de alguns quarteires. Obras que tambm sero executadas em breve. A mdio prazo, precisamos planejar a cidade do futuro, com elaborao de um plano diretor para dar rumo ao crescimento da cidade. Mas como pode um plano diretor fazer isso? Atravs de uma legislao urbanstica que proba empreendimentos de grande porte, geradores de trafego urbano, como hospitais, escolas grandes, universidades, shopping centers, hipermercados, conjuntos residenciais, de se localizarem no centro e nos bairros Ibituruna e adjacncias. Por outro lado, que incentive a implantao desses empreendimentos na zona leste, prximo ao aeroporto, ao longo do anel leste. A longo prazo, Montes Claros precisa parar de crescer. A cidade ideal no pode passar de 500 mil habitantes. Parece um contracenso querer que a cidade pare, mas devemos pensar grande, pensar no planejamento regional, com a implantao da regio metropolitana da Grande Montes Claros, onde os empreendimentos industriais podero ser induzidos a se implantarem no entorno de Montes Claros, em Capito Enas, Francisco S, Corao de Jesus e Juramento. Desta forma toda a regio cresce, Montes Claros continua recebendo os bnus desse crescimento, mas consegue dar qualidade de vida aos seus muncipes.

Davidson Caldeira arquiteto urbanista, professor universitrio e coordenou a equipe que elaborou a atual legislao urbanstica da cidade.


76343
Por Davidson Caldeira - 26/10/2013 12:26:54
JOSE CORREA MACHADO, O ARQUITETO. Muito interessante a cronica de Haroldo Tourinho sobre a vida do grande arquiteto Machado. Conheci o colega Machado quando por volta de 1993 ele me procurou na prefeitura, onde eu exercia a chefia da divisao de urbanismo, e ele precisava urgente de uma declarao da prefeitura de interesse da Coopagro , que ele presidia na poca. Prontamente o atendi. Anos mais tarde ele assumiu a SEPLAN e me convidou para a chefia da diviso de engenharia e entao pude constatar a grande competencia e a viso de planejamento que ele tinha pois nossa equipe planejou , e projetou as avenidas Jose Correa Machado, Vargen Grande e Bicano e tambem a via urbana que seria implantada no local dos trilhos da linha frrea, alem de diversas obras escolares , asfalto etc. Foram tempos que a cidade de Montes Claros progrediu muito no quesito infraestrutura e o DR Machado em muito contribuiu para isso, apesar de nos deixar repentinamente seus projetos e suas ideias estao ate hoje para serem construidas. DAVIDSON CALDEIRA, arquiteto e urbanista


76261
Por Davidson Caldeira - 9/10/2013 11:19:18

Novo Centro Administrativo de Montes Claros - Gostaria de esclarecer e comentar noticia divulgada no jornal O Norte referente a construo do Centro administrativo no terreno da antiga Meca na av. Magalhaes Pinto em frente ao clube da ABB. Em primeiro lugar o terreno ja pertence a prefeitura pois foi adquirido pelo ex prefeito Jairo Ataide, estando sendo usado em comodato pela empresa de Newton Cardoso com vencimento em 2015(mas poder ser antecipado esse vencimento). Quanto a iniciativa de se construir o centro administrativo naquele local, eu , como arquiteto e urbanista acho que o prefeito esta no caminho certo pois a cidade precisa ser descentralizada, precisa ser incentivada a redirecionar o seu crescimento para a regiao leste uma vez que o atual centro esta no limite de sua capacidade de absorver o transito urbano. necessario que o plano diretor limite as novas construes publicas e privadas de grande porte que impliquem em impacto no trafego urbano na area central e ao mesmo tempo incentive essas construes na regiao leste da cidade. DAVIDSON CALDEIRA ROCHA arquiteto, urbanista e professor universitrio




Selecione o Cronista abaixo:
Avay Miranda
Iara Tribuzi
Iara Tribuzzi
Ivana Ferrante Rebello
Manoel Hygino
Afonso Cludio
Alberto Sena
Augusto Vieira
Avay Miranda
Carmen Netto
Drio Cotrim
Drio Teixeira Cotrim
Davidson Caldeira
Edes Barbosa
Efemrides - Nelson Vianna
Enoque Alves
Flavio Pinto
Genival Tourinho
Gustavo Mameluque
Haroldo Lvio
Haroldo Santos
Haroldo Tourinho Filho
Hoje em Dia
Iara Tribuzzi
Isaas
Isaias Caldeira
Isaas Caldeira Brant
Isaas Caldeira Veloso
Ivana Rebello
Joo Carlos Sobreira
Jorge Silveira
Jos Ponciano Neto
Jos Prates
Luiz Cunha Ortiga
Luiz de Paula
Manoel Hygino
Marcelo Eduardo Freitas
Marden Carvalho
Maria Luiza Silveira Teles
Maria Ribeiro Pires
Mrio Genival Tourinho
Oswaldo Antunes
Paulo Braga
Paulo Narciso
Petronio Braz
Raphael Reys
Raquel Chaves
Roberto Elsio
Ruth Tupinamb
Saulo
Ucho Ribeiro
Virginia de Paula
Waldyr Senna
Walter Abreu
Wanderlino Arruda
Web - Chorografia
Web Outros
Yvonne Silveira